Izzo Instrumentos
Buscar

Produtos encontrados: 106 Resultado da Pesquisa por: em 7 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

Produtos encontrados: 106 Resultado da Pesquisa por: em 7 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

Pedais: o que faltava para dar vida aos seus instrumentos de corda

Pedais são acessórios que dão vida aos instrumentos elétricos de corda. Sem eles, todo o peso e o timbre que conhecemos de músicas famosas, sejam mais voltadas para o rock n roll ou o próprio pai desse estilo - o blues -  criadas ou reproduzidas em guitarras e contrabaixos, não seria mais o mesmo. 

Seria impossível imaginar o próprio heavy metal sem o peso característico dos seus power chords, riffs e solos sem um pedal de distorção ou delay juntos, empurrando a galope a música criada por dedos habilidosos de instrumentistas ao longo de todas essas décadas. 

Mesmo que você esteja dando os primeiros passos no mundo dos pedais, ainda assim é válido saber diferenciar cada um deles para entender em quais ocasiões usá-los, inclusive se você estiver pensando em montar o seu próprio pedalboard.  

Nos próximos parágrafos, vamos conhecer com mais detalhes os melhores pedais de efeito e o que cada um pode te oferecer durante a sua produção ou composição musical. Confira! 

 

Como funciona um pedal de efeito

Antes da gente começar a falar sobre os tipos de pedais é interessante explicar mais sobre o funcionamento de um pedal de efeito, uma curiosidade que já deve ter passado pela sua cabeça em algum momento como iniciante no mundo das guitarras. 

A partir do momento em que você toca a sua guitarra, os captadores que estão presentes nela enviam um sinal elétrico para os pedais. 

Esse sinal, quando chega ao pedal, é convertido em outra frequência. Em seguida, essa mesma frequência é levada para o amplificador onde temos o som já alterado, conforme a regulagem que foi definida nos pedais. 

 

Tipos de pedais

Dependendo do seu gosto musical e do estilo que você ou a sua banda exploram durante a composição das suas músicas, temos um ou outro pedal que faz mais sentido para aquele momento. Vamos conhecer cada um deles.  

 

Ganho

Nossa lista começa com um dos pedais mais populares e preferidos do público que curte música pesada: o pedal de ganho. Ele pode ser encontrado tanto nos pedais de fuzz, distorção ou overdrive. 

O fuzz, que é um dos mais antigos, trabalha em cima da saturação obtida com o advento do transistor. Apesar de gerar distorção, ele consegue interagir com o botão de de volume da guitarra , resultando em um som “sujo e encorpado”. 

O pedal de overdrive simula a saturação obtida pelas válvulas dos amplificadores clássicos, usado na maioria dos estilos, do blues, pop, rock, etc.

Já o pedal de distorção, um dos preferidos de bandas de hard rock, heavy metal, entre outras vertentes do gênero, possui vários estágios de ganho em cascata, gerando o timbre que é conhecido como High Gain . 

No entanto, ao contrário do fuzz, os efeitos de overdrive e distorção , oferecem mais possibilidades de controle e timbragem, dando mais opções para o músico que procura por liberdade para explorar novas sonoridades dentro deste estilo musical. 

 

Ambiência, repetição e looper  

Se a sua intenção for ampliar a sonoridade do seu instrumento e aumentar o tempo de duração de uma nota, seja durante a execução de um riff ou ao longo de um solo, podemos incluir o delay, reverb e looper, sendo interessante ter um desses pedais no seu pedal board, já que eles conseguem incrementar a sua atuação no palco. 

Quem nunca ficou maravilhado com os solos de guitarra de David Gilmour, do Pink Floyd ou do The Edge, guitarrista do U2 que atire a primeira pedra. Uma das marcas registradas desses guitarristas é o uso que eles fazem do pedal de delay para  adicionar uma textura e uma camada extra nos seus solos, tornando-os mais imersivos e hipnotizantes, tanto em estúdio quanto ao vivo. 

O reverb serve para dar uma ambiência e simula uma sala vazia Caso sinta que o seu som está muito seco, experimente usar um pedal de reverb e você ficará maravilhado com o resultado.

O pedal de looper é ideal para usar quando estiver estudando sozinho ou criando alguma música, você pode tocar uma base, apertar o pedal de looper que ele irá gravar o que você tocou para você tocar em cima.

 

Modulação

Quem tem o perfil mais voltado para dedilhados e melodias vai encontrar no pedal de modulação a opção perfeita para incrementar suas produções musicais. O pedal de chorus é um exemplo disso. 

Ao “dobrar” o sinal da guitarra, esse pedal de efeito auxilia o guitarrista a criar ambientações que simulam dois amplificadores separados, algo bastante comum em algumas bandas onde há apenas um guitarrista. 

 

Volume 

Como o próprio nome já sugere, esse tipo de pedal é usado para diminuir o volume da guitarra. Ele pode ser útil caso o guitarrista queira diminuir o volume de determinadas partes da música, dando mais destaque para determinadas notas. O pedal de volume é muito usado para dar o efeito swell, que simula o som de violino, aumentando aos poucos o ataque da nota.

O pedal de boost, por exemplo, é o oposto do pedal volume e consegue elevar o volume da guitarra sem deixar o som saturado, isto é, ideal para usar na hora do solo ou de uma frase de destaque. Porém se você colocar o pedal de boost antes da distorção ele vira um boost de ganho, empurrando a distorção que vem depois, gerando mais ganho.

 

Pedal ou pedaleira: qual devo comprar?

Ainda existe algum debate sobre qual é melhor: pedal ou pedaleira. No entanto, não existe um melhor ou pior. Cada um cumpre uma função e trabalha ao seu próprio modo, atendendo às necessidades do músico à sua maneira. 

Os pedais oferecem um timbre analógico que é considerado mais limpo e fiel por muitos guitarristas, enquanto a pedaleira, por ser um equipamento digital, apenas simula os efeitos que já encontramos nos pedais, servindo como um instrumento mais conveniente para quem quer tudo em um só lugar. 

A vantagem dos pedais é que eles são mais customizáveis, você pode ter um efeito de cada marca, ao invés de ficar preso aos efeitos que a pedaleira te oferece. Os pedais são mais divertidos e colecionáveis. Se o pedal for bom, ele não desvaloriza, ao contrário da maioria das pedaleiras, que desvalorizam cada vez que um modelo novo é lançado. 

Ter um pedalboard exige um maior investimento. Já uma pedaleira pode ser adquirida quando o orçamento está mais apertado. 

Agora que você já sabe como escolher o seu próximo pedal de efeito, aproveite para conferir outros produtos que estão à venda na nossa loja. Temos uma variedade de instrumentos de corda, acessórios e equipamentos que vão elevar a qualidade das suas produções musicais. Venha conferir!